Secretário com coronavírus diz estar bem e deve ficar mais 5 dias isolado

Ao Brasil Urgente, Fábio Wajngarten relatou que teve os primeiros sintomas da doença pouco antes de desembarcar no País

O secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten, que testou positivo para o novo coronavírus (COVID-19), disse em entrevista exclusiva ao Brasil Urgente nesta sexta-feira, 13, que está bem e segue trabalhando de casa, onde está isolado em uma quarentena que deve durar mais cinco dias.

INSCREVA-SE NO CANAL BAND JORNALISMO NO YOUTUBE E RECEBA O MELHOR CONTEÚDO QUANDO E ONDE QUISER

"Estou no segundo dia de isolamento, minha família inteira se mudou de casa. Eu passo bem, não tenho secreção, não tenho febre, estou disposto, se pudesse até faria ginástica", afirmou em conversa com José Luiz Datena.

Wajngarten está seguindo o protocolo do Ministério da Saúde, que pede isolamento de 7 a 10 dias, podendo aumentar para 14. "Se eu não tiver sintomas no sétimo dia, vou para o hospital fazer novamente o teste", acrescentou Fábio, que está em contato com o presidente Jair Bolsonaro. "Tenho falado com ele, trabalhado de casa, desenvolvendo campanhas e conversado com ministros."

O secretário estava na comitiva do presidente durante uma visita aos Estados Unidos. Por esse motivo, Bolsonaro precisou fazer o teste para Covid-19, que deu negativo. O presidente dos EUA, Donald Trump, esteve com a delegação brasileira em alguns momentos, mas optou por não realizar o exame e se mostrou tranquilo.

Wajngarten explicou, no entanto, que tomou cuidados para não contaminar pessoas próximas logo que sentiu os primeiros sintomas da doença, o que ocorreu pouco antes de pousar em solo brasileiro. "Eu estava com zero sintomas quando fui para os Estados Unidos; minha saúde era perfeita. Só passei a ter sintoma na última hora de voo de retorno ao Brasil, na noite de terça-feira. Na hora o médico da comitiva já me deu uma máscara e remédios. Eu desembarquei de máscara e fui para o hospital".

Segundo Fábio Wajngarten, sua esposa, as três filhas, o motorista que o levou para o hospital e os funcionários de sua casa tiveram que realizar o teste. "Todos deram negativo", contou. "O fato é que ter um teste positivo para o coronavírus não é motivo de pânico e nem é para entupir os hospitais."

Da quarentena, o secretário trabalha em campanhas do governo no combate ao vírus. "Vamos lançar nos próximos dias uma campanha publicitária na TV, rádios, mídias digitais e do exterior com celebridades e esportistas informando sobre as precauções para evitar o contágio da doença", adiantou. "É vida que segue, assim como o governo segue e tem que seguir".

Coronavírus: principais sintomas e prevenção

Compartilhar