Em reunião, Bolsonaro disse que trocaria 'chefe ou ministro' antes de ter familiares prejudicados

Presidente ainda reclamou que não recebe informações da PF. "É uma vergonha! Eu não sou informado e não dá para trabalhar assim"

O presidente Jair Bolsonaro, durante a reunião ministerial do dia 22 de abril, afirmou que já havia tentado trocar pessoas de segurança no Rio de Janeiro e não tinha conseguido. O presidente disse ainda que não ia esperar sua família ser atingida para agir.

"É a p... o tempo todo pra me atingir, mexendo com a minha família. Já tentei trocar gente da segurança nossa no Rio de Janeiro, oficialmente, e não consegui! E isso acabou. Eu não vou esperar f... a minha família toda, de sacanagem, ou amigos meus, porque eu não posso trocar alguém da segurança na ponta da linha que pertence a estrutura nossa. Vai trocar! Se não puder trocar, troca o chefe dele! Não pode trocar o chefe dele? Troca o ministro! E ponto final! Não estamos aqui para brincadeira”, disse o presidente.

Esse é o trecho considerado crucial para o inquérito envolvendo a possível interferência de Bolsonaro na Polícia Federal.

Em outro momento, Bolsonaro voltou a falar que iria interferir se precisasse. "Eu tenho o poder e vou interferir em todos os ministérios, sem exceção".

O presidente disse ainda que não pode ser surpreendido com notícias. "Eu tenho uma PF que não me dá informação", reclamou. "É uma vergonha! Eu não sou informado e não dá para trabalhar assim. Fica difícil, por isso, vou interferir e ponto final. Não é ameaça, não é extrapolação da minha parte. É uma verdade".

Reunião de 22 de abril

A reunião de Bolsonaro com ministros em 22 de abril faz parte de um inquérito aberto no STF para apurar as declarações de Sergio Moro no dia em que pediu demissão do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

O vídeo liberado pelo ministro Celso de Mello é considerado uma das principais provas para sustentar a acusação feita por Moro de que o presidente tentou interferir no comando da PF e na superintendência do órgão no Rio, fatos esses investigados no inquérito relatado pelo decano do STF.

Compartilhar