Bolsonaro: não estupro deputada porque não merece

Deputado também atacou o governo de Dilma Rousseff, que chamou de "covarde, comunista, imoral e ladrão"

O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) repetiu nesta terça-feira (9), ao subir na tribuna da Câmara, que não estupra a deputada Maria do Rosário (PT-RS) porque ela “não merece”. O parlamentar, que é militar reservista, ficou revoltado com um discurso da colega, que criticou a ditadura.

A deputada disse que a ditadura militar teve homens e mulheres que se colocaram de joelhos “para servirem ao interesse da tortura, da morte, ao interesse de fazer o desaparecimento forçado, o sequestro”. Ela elogiou os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Lula, além da presidente Dilma Rousseff “que teve a coragem de implementar no Brasil um movimento político em torno da Comissão da Verdade”.

A ex-ministra Secretaria de Direitos Humanos também criticou as manifestações que querem a volta dos militares ao poder. “São poucos, na verdade, mas deveriam ter consciência do escárnio que promovem indo às ruas pedir a ditadura, pedir o autoritarismo e o impeachment. Ora, são figuras de linguagem desvalidas porque colocadas no pior lixo da história”, disse.

Na sequência, foi a vez de Bolsonaro subir à tribuna para discursar. Ao ver que a colega deixava a Câmara, o deputado não se conteve. “Não saia, não, Maria do Rosário, fique aí. Fique aí, Maria do Rosário. Há poucos dias você me chamou de estuprador no Salão Verde e eu falei que eu não a estuprava porque você não merece. Fique aqui para ouvir”, atacou.

Após dizer que os “direitos humanos no Brasil só defendem bandidos, estupradores, marginais, sequestradores e até corruptos”, Bolsonaro resolveu criticar Dilma e o PT.

“A Maria do Rosário saiu daqui agora correndo. Por que não falou da sua chefe, Dilma Rousseff, cujo primeiro marido sequestrou um avião e foi para Cuba e participou da execução do major alemão? O segundo marido confessou publicamente que expropriava bancos, roubava bancos, pegava armas em quarteis e assaltava caminhões de cargana Baixada Fluminense. Por que não fala isso? Maria do Rosário, por que não falou sobre o sequestro, tortura e execução do Prefeito Celso Daniel, do PT?”, perguntou.

“Vá catar coquinho! Mentirosa, deslavada e covarde. Eu a ouvi falando aqui as asneiras dela. E fiquei aqui. Fala do teu Governo, o Governo mais corrupto da história do Brasil”

Estrangeiros também são alvos da ira de Bolsonaro

Bolsonaro pediu mais tempo para discursar e aproveitou para dizer que Dilma se reuniu com a “escória da América Latina” na Unasul (União das Nações Sul-Americanas). Ele criticou a proposta de abertura do espaço aéreo aos países do bloco. “Além de tráfico de drogas, há tráfico de armas e munições”, justificou.

“Já temos 11 mil cubanos aqui, milhares de haitianos. Este Congresso votou aqui, sem ler, a isenção de visto para iraniano entrar em nosso País. Mujica aceitou agora presidiários, terroristas de Guantánamo. Estamos trazendo para dentro do Brasil o que há de pior no mundo: a escória do mundo para dentro do Brasil”, afirmou.

Ao final do discurso, Bolsonaro disse que o governo petista de Dilma é “covarde, comunista, imoral e ladrão”. “Parabéns aos vagabundos do Brasil que estão sob o guarda-chuva da Comissão de Direitos Humanos da Deputada Maria do Rosário”, finalizou.

Compartilhar